| Publicado em: 06/09/2016

Metalúrgicos cobram investimentos por mais empregos na Região Metropolitana de SP

A Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) precisa voltar a crescer. Mas, com foco na geração de empregos de qualidade, especialmente, na indústria, motor do crescimento de trabalho decente em outros setores econômicos. Com esses objetivos, o nosso Sindicato e outros companheiros representantes dos sindicatos metalúrgicos de São Paulo, Santo André e ABC reivindicaram a criação de um grupo de trabalho junto à Investe SP e a Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho do Estado de São Paulo para buscar alternativas de geração de emprego e renda para os 39 municípios que compõem a RMSP. A reunião aconteceu no dia 25, na sede da Investe SP.

O objetivo é barrar o processo de fuga de empresas da nossa região, que corre o risco de se tornar somente um aglomerado de cidades dormitórios, se nada for feito. As estatísticas deixam claro a mudança: hoje, os metalúrgicos representam 37% dos quase 1 milhão de trabalhadores empregados na indústria de transformação, de acordo com a subseção do Dieese para os metalúrgicos do ABC. É o menor patamar em dez anos, já que em 2006, os metalúrgicos eram 39% do setor, tendo chegado a 40% em 2010.

Os dados revelam a necessidade de um olhar focado. Por isso, as entidades também reivindicaram a inclusão de um plano de desenvolvimento econômico no plano de desenvolvimento regional (PDUI – Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado), que está em discussão. A questão do emprego precisa fazer parte deste projeto.

Para os dirigentes sindicais, é preciso adotar medidas urgentes. Reivindicamos medidas que permitam as empresas retomar o investimento e gerar empregos de qualidade, especialmente, na indústria, mas também em todos os setores”, explica o presidente do Sindicato, Jorge Nazareno.

O diretor do Sindicato, Alex da Força, explica que a ideia do grupo de trabalho deve envolver sindicatos de outras categorias num diálogo, porque “o Estado de São Paulo, que sempre foi a locomotiva do país, corre o risco de se tornar um vagão cheio de desempregados, se nada for feito”.

“Defendemos medidas, a partir da estrutura do gover­no do Estado, que façam com que o setor industrial paulista seja um dos primeiros a se recuperar quando houver a retomada da economia”, alerta o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Rafael Marques.

E o presidente da CNTM (Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos) arremata: “Essa é a nossa meta: crescimento econômico com produção, geração de emprego e renda e garantia dos direitos”.

A Investe SP, irá analisar as reivindicações. O órgão é uma agência do governo de atração de investimentos para o estado de São Paulo, articulando o diálogo e o apoio aos empreendedores.

© 2015 · Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região. Todos direitos reservados.

Rua Erasmo Braga, 307 - CEP 06213-008 - Presidente Altino, Osasco - SP - Brasil - Fone (11) 3651-7200 / Whatsapp (11) 96078-0209