| Publicado em: 31/03/2014

Artigo: “A falta de água em Cotia”

Por Alex da Força\r\n\r\nNo último dia 22 foi comemorado mundialmente o Dia da Água… Em Cotia, temos o que comemorar?\r\n\r\nNos últimos meses, a população de Cotia vem percebendo com mais frequência a falta de água, mesmo em períodos de chuvas.\r\n\r\nO principal motivo da escassez de água potável cada vez mais crescente em nossa cidade está intimamente associada a falta de planejamento urbano estratégico.\r\n\r\nAutorizam-se as construções de novos empreendimentos, principalmente os habitacionais, sem levar em conta a capacidade de elevação do abastecimento de\r\nágua.\r\n\r\nA Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo – SABESP – é a fornecedora de água para Cotia. Ela é uma empresa de economia mista, de capital aberto, que tem como principal acionista o Governo do Estado de São Paulo.\r\n\r\nA cidade de Cotia é abastecida por três sistemas: Estação de Tratamento de Água do Jardim Japão que abastece o bairro do Jardim Japão e o Distrito de Caucaia do Alto, o Alto Cotia e o Guarapiranga que abastecem as macrorregiões Central e da Granja Viana.\r\n\r\nAlém da falta de planejamento urbano estratégico, há duas grandes perdas nos sistema de abastecimento: por vazamentos nas tubulações de distribuições e os erros / fraudes nas medições dos hidrômetros.\r\n\r\nAnualmente, de 100% da água que saem dos sistemas de distribuições aproximadamente 74,3% chegam aos consumidores. Quase 30% é perdido ao longo\r\ndo sistema de distribuição. Um enorme desperdício que a Sabesp pretende reduzir ao patamar de 19% de perdas até o fim desta década.\r\n\r\nExiste outro fator determinante para a falta de água em Cotia: a falta de energia elétrica!!!\r\n\r\nPor toda a extensão da rede de distribuição de água existem as bombas e válvulas eletromecânicas que são responsáveis por manter o fornecimento de água regulando a pressão conforme a variação no consumo ao longo do dia.\r\n\r\nToda vez que falta energia elétrica na região onde estão situadas essas bombas e válvulas, o fornecimento de água é comprometido. Estima-se que 1 hora com falta de energia compromete em até 4 horas o abastecimento das casas, comércios e indústrias. Com o aumento elevado do consumo advindo da falta de planejamento, se não houver a ampliação da capacidade de fornecimento, a tendência é piorar e se não houver uma gestão rígida poderá faltar água para a população de Cotia nas próximas décadas.\r\n\r\nAtualmente, enquanto ocorre o racionamento de água em vários bairros, em outros a população luta para o sonho de ter água encanada se torne realidade, como é o caso do bairro Recanto Verde, Parte do Caiapiá, Distrito de Caucaia do Alto e Granja Viana, dentre outros, cujos moradores utilizam poços artesianos que nem sempre estão com a qualidade da água adequada para o consumo.\r\n\r\nPor fim, enquanto as políticas públicas e as medidas eficazes para dar soluções aos problemas apresentados neste artigo não saem dos “papéis”, Nós devemos minimizar os efeitos da escassez fazendo o uso racional da água e em caso de vazamento ligar imediatamente para o telefone 195. Para os bairros onde ainda não exista rede de água, a população deve exercer o seu direito de cidadania e cobrar das autoridades competentes o direito legítimo a água potável.\r\n\r\n“Só percebemos o valor da água depois que a fonte seca” – Provérbio Popular. [Fonte: Portal Viva/Link: http://www.portalviva.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=10201%3Aartigo-qa-falta-de-agua-em-cotiaq&catid=30%3Aopiniao&Itemid=10]

© 2015 · Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região. Todos direitos reservados.

Rua Erasmo Braga, 307 - CEP 06213-008 - Presidente Altino, Osasco - SP - Brasil - Fone (11) 3651-7200 / Whatsapp (11) 96078-0209