FIQUE SÓCIO!
Notícias
COMPARTILHAR

Em dia de greve geral, Sindicato organiza metalúrgicos da região e Largo de Osasco

Por Auris Sousa | 14 jun 2019

Foi nas primeiras horas desta sexta-feira, 14, que a diretoria do Sindicato fez uma força tarefa para intensificar a mobilização neste dia de luta, de greve geral. Para isso percorreu as principais fábricas da região, onde os trabalhadores aderiram à greve total ou parcialmente, como os que trabalham na Rossini, Engretecnica, Meritor, Belgo, Spaal. Em Osasco, o ato por uma aposentadoria digna e pública para todos parou a principal rua de comércio da cidade. 

Mais tarde, por volta das 7h, a diretoria engrossou o ato no Largo de Osasco que reuniu dirigentes de diversas categorias, entre elas bancários, comerciários, químicos, frentistas e professores. Bem como estudantes, e representantes de movimentos sociais. Por volta das 9h, do Largo, em passeata, o grupo percorreu o Calçadão da cidade, onde o comércio local aderiu a greve e baixaram as portas. Depois seguiu pela Avenida dos Autonomistas e desceu a Primitiva.

“Estamos na rua pelo direito de todos os brasileiros terem uma aposentadoria pública e de qualidade, uma em que a população consiga de fato se aposentar. Estamos na rua para chamar a atenção de todos para os prejuízos que teremos, caso a proposta do governo seja aprovada da forma que está”, esclareceu o presidente do Sindicato, Jorge Nazareno.  

Pessoas de diversas idades estavam presentes na manifestação. Acompanhada da neta Mariah dos Santos, de 7 anos, a educadora Marlene Xavier dos Santos, de 57 anos, enxerga a esperança de um futuro melhor por meio de ações como a de hoje. “Vejo nela [na neta] a esperança nas gerações futuras. Ela é minha continuação e quero que entenda, desde cedo, a importância de lutar por um país, e por um mundo melhor”, destacou.

Para o presidente do Sindicato dos Comerciários de Osasco e região, José Pereira da Silva Neto, “o ato de hoje é uma greve geral, que é contra o desmanche do governo em todas as áreas. Não é só contra a reforma da Previdência. É contra a reforma do ensino, escola sem partido, 13 milhões de desempregados. O país para em protesto contra o desmonte do Brasil, neste momento”.

Em Taboão da Serra, além de assembleias, o Sindicato fez panfletagem em frente ao Poupa Tempo do Pirajussara e explicou para a população a importância do dia de hoje e do que está em jogo com a reforma da Previdência.

45 milhões aderem à greve em todo país

Cerca de 45 milhões pessoas aderiram da greve geral em todo o Brasil. O movimento é organizado pelas centrais sindicais e contou com a adesão de diversas categorias, como metalúrgicos, transportes, metroviários, químicos, bancários e comerciários.

“A direção da Força Sindical considera que os atos, paralisações e greves, organizados pelas entidades sindicais e movimentos sociais, ocorridos em milhares de cidades do País, atingiram o objetivo de alertar a sociedade e o Congresso Nacional sobre a nefasta proposta do governo de reforma da Previdência”, destacou em nota o presidente da Força Sindical, Miguel Torres.