Galeria de Fotos
COMPARTILHAR

Encontro homenageia lutadoras e reforça compromisso com a luta por igualdade

Por teste | 23 mar 2018

TAGS

O Encontro Março Mulher Metalúrgica de sábado, 17, foi um momento de renovação das forças para a luta por igualdade e contra as diferentes formas de violência que atingem as mulheres. Tudo isso apoiado numa história de luta que vem desde as lutas que resultaram na instituição do 8 de março como Dia Internacional da Mulher, passando pela Greve de Osasco (de 1968) até os dias atuais, marcados por violências como o assassinato da vereadora Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes.

O auditório da sede ficou lotado de ativistas que participam de todas essas lutas. Foi um momento de celebração e de fortalecimento. Por isso, o presidente do Sindicato, Jorge Nazareno, pediu um minuto de silêncio para que todos pudessem refletir sobre a contribuição que podemos dar para uma sociedade mais justa e mais igualitária.

Compromisso internacional – Outro momento importante foi a assinatura da carta compromisso com a luta pelo fim da violência contra as mulheres, campanha coordenada internacionalmente pela IndustriALL Global Union, central sindical que reúne sindicatos de trabalhadores da indústria em vários países. Ações como a disponibilização de recursos para o enfrentamento da desigualdade, dentro e fora dos sindicatos, campanhas contra o assédio moral e a inclusão de cláusulas nas convenções coletivas que promovam a igualdade, são estimuladas pela campanha.

Mulheres na Greve de 68 – O encontro também abriu a série de atividades que marcam os 50 anos da histórica Greve de Osasco – conhecida por muitos como a Greve da Cobrasma. Uma importante afronta a ditadura, organizada com a participação do nosso Sindicato, que teve mulheres como protagonistas, dentro e fora das fábricas que pararam, entre os dias 16 e 18 de julho de 1968.

Companheiras como Sônia Miranda (esposa de Joaquim Miranda, diretor do Sindicato e trabalhador da Braseiros, em 68), Abgail Silva (esposa de João Joaquim, diretor do Sindicato e trabalhador da Cobrasma, em 68) e Marlene Groff (esposa de José Groff, presidente da comissão de fábrica da Cobrasma) foram homenageadas, junto a Nádia Gerbara (Sindicato dos Químicos) e Eva Abadia, (coletivo Mulheres Sindmetal), que participam também de lutas mais recentes pela igualdade e direitos dos trabalhadores.

Filme “Passaporte para Osasco” será exibido nesta 6ª feira

A programação de aniversário “1968+50: a luta continua” continua, com a exibição nesta sexta-feira, 23, do documentário “Passaporte para Osasco”, de Rui Souza. A exibição acontece no Sindicato dos Químicos (Rua Alexandre Baptistone, 265 – Quitaúna, Osasco), às 18h30. Na sequência, haverá debate com a presença dos professores Marta Rovai (Unifal), Murilo Leal (Unifesp) e de Stanislaw Szermeta (protagonista da greve). A entrada é gratuita. Participe!

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios Marcados com *