FIQUE SÓCIO!
Galeria de Fotos
COMPARTILHAR

Sindicato reforça mobilização nas fábricas contra a reforma da Previdência

Por Auris Sousa | 11 jun 2019

A luta em defesa de uma aposentadoria digna, justa e pública só cresce nas fábricas de Osasco e região. O Sindicato tem feito uma força tarefa para intensificar a mobilização dos trabalhadores contra a reforma da Previdência. Para isso, a diretoria tem informado a categoria os principais pontos da proposta que mostram que a reforma não vai acabar com os privilégios, não vai gerar desenvolvimento. Por isso que o Sindicato vai participar da greve geral, marcada para a próxima sexta-feira, 14. 

Veja os principais itens da reforma: 

Idade Mínima: 65 anos (homens) e 62 anos (mulheres) vai acabar com a chance do aposentadoria dos mais pobres. 

Não se engane.  O custo de vida vai aumentar, menos a sua aposentadoria. Com a reforma da Previdência, as pensões não serão mais corrigidas pela inflação. 

Você vai ganhar menos! Ao considerar a média de todos os salários para o cálculo do benefício, sem excluir os 20% menores como no modelo atual, a regra proposta fará o valor do benefício ser rebaixado.

Vai ser pior ainda para mulheres. A reforma desconsidera a dupla e a tripla jornada de trabalho que elas muitas vezes desempenham. Aumentar a idade mínima para mulheres não combate privilégios!

É diferente para os militares. O tempo de serviço para eles ficou em 35 anos, recebendo 100% do que recebia na ativa. Poderão ganhar mais de R$ 30 mil, e sempre que tiver reajuste para quem está na ativa, os da reserva também ganham.

Sistema de Capitalização. Com ele vai ser milhões para os bancos e milhões na miséria. Isto porque o governo para de contribuir, os patrões não são mais obrigados a pagar e só os trabalhadores terão que depositar uma parte do salário numa conta. Vai tudo para os bancos!

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios Marcados com *