História do Sindicato

Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região

Fundado em 23 de julho de 1963, o Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região participou de diversas lutas importantes para a categoria e para o País. As lutas pelo fim da ditadura, pelo direito de greve e pela jornada de trabalho de 44 horas semanais são alguns exemplos.

Até 1963, a organização da categoria metalúrgica se dava na subsede do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, que depois se tornou o Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região. A constituição do Sindicato aconteceu pouco depois de Osasco ter deixado de ser um sub-distrito de São Paulo. A emancipação aconteceu em 19 de fevereiro

 

O movimento antes do Sindicato

O Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região veio para dar força às lutas que aconteciam desde a década de 1950. Na época, a maior delas foi a greve dos 300 mil, iniciada em 25 de março de 1953, que paralisou cinco categorias por 29 dias e contou com a participação dos metalúrgicos, que lutavam contra a carestia. Outra luta importante, foi a dos trabalhadores da Cobrasma, que, em 1957, fizeram greve por melhores condições de trabalho, diminuição dos índices de acidentes de trabalho e pagamento do adicional de insalubridade para vários setores da produção, como a fundição.

Entre os anos de 1957 e 1959, o metalúrgico Conrado del Papa assumiu a suplência do Conselho Fiscal do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo com a responsabilidade de contribuir com a organização dos metalúrgicos de Osasco e iniciar o processo de criação do Sindicato.

Com a emancipação de Osasco, os metalúrgicos começaram a se organizar para constituir um Sindicato próprio. Em junho de 1962, foi inaugurado o prédio “O Metalúrgico”, na R. Erasmo Braga, 879, em Presidente Altino, onde ainda se localiza o Sindicato.

Naquela época, a mobilização social era intensa. O movimento sindical defendia as “Reformas de Base” do governo João Goulart, organizava paralisações nacionais por categorias e greves gerais, lutava pela reforma agrária e pelo 13º salário. Essa participação em lutas nacionais contribuiu para a organização do Sindicato. Hoje, ela é uma de suas principais preocupações.

 

1963: é fundado o Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região

Com a obtenção da Carta Sindical, em 23 de julho de 1963, foi fundado o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Osasco.

Em 13 de setembro de 1963, foi eleita a primeira diretoria do Sindicato. Conrado del Papa foi eleito presidente; Roberto de Oliveira, vice-presidente; Lino F. dos Santos, secretário geral; Fortunato Facchini, primeiro tesoureiro; e Manoel Dias do Nascimento, segundo tesoureiro.

A primeira gestão durou 6 meses e 17 dias. Nesse período ocorreu a Campanha Salarial de novembro de 1963, marcada pela “Greve dos 700 mil”, na qual os metalúrgicos de Osasco se juntaram aos trabalhadores de cerca de 40 municípios do Estado para reivindicar melhores condições de trabalho.

A gestão foi interrompida pelo golpe civil-militar de 1964. A direção do Sindicato foi destituída e a organização ficou sob intervenção até julho de 1965.

Entre junho e julho de 1965, aconteceram novas eleições para a diretoria do Sindicato. Os metalúrgicos elegeram Henos Amorina para a presidência.

Em 1967, ocorreram novas eleições, marcadas pelo surgimento de uma chapa de oposição, a Chapa Verde. José Ibrahin, da oposição, foi eleito presidente.

Com a nova direção, o Sindicato voltou às lutas nacionais. A mobilização pela recuperação dos salários culminou na realização do 1º de maio unificado, na Praça da Sé, em São Paulo. Alguns manifestantes foram presos e levados ao Departamento de Ordem Política e Social (DOPS). Outra manifestação foi a greve de Osasco, em 16 de julho de 1968, na qual os trabalhadores ocuparam a Cobrasma e outras mobilizações aconteceram em empresas como Lonaflex, Brown Boveri, Braseixos, Fósforos Granada e Barreto Keller. A greve ajudou a consolidar o Sindicato como referência de luta na região e na história do movimento sindical brasileiro. A greve foi reprimida com a força da repressão da ditadura, que prendeu e torturou dezenas de trabalhadores e, 18 de em julho de 1968, voltou a intervir no Sindicato.

Com a reorganização do movimento sindical no final dos anos 1970, o Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região assumiu a liderança do movimento operário. Nessa história de luta, o Sindicato se consolidou nas mobilizações por reivindicações específicas da categoria e por mudanças na realidade político-econômica do país. Uma história que continua a ser construída.