FIQUE SÓCIO!
EDIÇÃO # 13
COMPARTILHAR

Todos convocados para seminário deste sábado sobre a Greve Geral

Por Auris Sousa | 04 jun 2019

Seminário na sede vai definir formato da greve geral neste sábado, 8

A categoria vai decidir neste sábado, 8, o formato da Greve Geral contra a reforma da Previdência nas fábricas de Osasco e região. No seminário que acontece na sede, a partir das 9h, vamos construir estratégias de participação e definir o melhor rumo para a luta em defesa de uma aposentadoria digna, justa e pública para todos.

A unidade dos companheiros é importante e determinante. É fundamental que todos participem e fortaleçam a luta. Haverá transporte para a sede. Basta se inscrever até quinta-feira, 6, com os diretores ou pelos tels. (11) 3651-7200 (Osasco), (11) 4137-5151 (Taboão da Serra), 4616-0016 (Cotia). Ou ainda pelo Whatsapp do Sindicato (11) 9 6078-0209.

Enquanto isso a diretoria enfatiza a organização dos metalúrgicos de Osasco e região nas fábricas, contra a proposta do governo que fará os brasileiros trabalhar por mais tempo e ganhar menos.

Companheiros da Bomax então entre os metalúrgicos que já estão organizados em defesa da Previdência Social

Com a reforma da Previdência você vai ganhar menos!

Ao considerar a média de todos os salários para o cálculo do benefício, sem excluir os 20% menores como no modelo atual, a regra proposta fará o valor do benefício ser rebaixado, uma vez que entrarão na conta os rendimentos do início de carreira, bem inferiores aos demais.

A reforma também prevê o fim do abono salarial do PIS/PASEP para os trabalhadores e trabalhadoras formais que ganham até dois salários mínimos (R$ 1.996,00). Pela proposta, só terá direito ao abono salarial os trabalhadores que receberem até um salário mínimo (R$ 998,00).

Isso significa menos um salário mínimo por ano para 21,3 milhões de trabalhadores e trabalhadoras formais que hoje ganham até dois salários mínimos por mês.

Unidade pela Educação e Previdência

O Sindicato engrossou na quinta-feira, 30, a segunda manifestação contra os cortes de verbas da educação e contra a reforma da Previdência. Em São Paulo, ato reuniu quase 200 mil pessoas, que se reuniram no Largo da Batata, em Pinheiros, e em seguiram em passeata sentido à Avenida Paulista.

A mobilização aconteceu por todo país. A UNE (União Nacional dos Estudantes) contabilizou manifestações em 183 cidades de 22 estados, mais o Distrito Federal.

Diretoria marcou presença em ato pela Educação