FIQUE SÓCIO!
EDIÇÃO # 3
COMPARTILHAR

Greve na Rayton dura quase dois meses por salários

Por Auris Sousa | 05 fev 2019

Os companheiros da Rayton decidiram na semana passada continuar em greve, que já dura quase dois meses. Os trabalhadores exigem o pagamento dos salários que estão atrasados há três meses. Também reivindicam que a empresa deixe o FGTS, a cesta básica, o vale transporte e o convênio médico em dia.

Durante audiência pública, que aconteceu na segunda-feira, 4, o Ministério Público do Trabalho, em Barueri, representado pela doutora Tatiane Lima Campelo, deu prazo para empresa, conforme sugerido pelos trabalhadores, regularizar os atrasados até o dia 1º março. Caso isso não ocorra, o Ministério entrará com uma ação pedindo a rescisão indireta de todos os trabalhadores.

“O Sindicato presta todo apoio aos companheiros, tanto político, quanto jurídico”, destaca o diretor Sertorio.

Em frente ao MPT, em Barueri, diretor Sertorio comanda a luta dos trabalhadores da Rayton