FIQUE SÓCIO!
EDIÇÃO # 03
COMPARTILHAR

Sindicatos da região protestam contra desmonte da Seguridade Social

Por Cristiane Alves | 19 fev 2020

Com panfletagens e diálogos com a população, o movimento sindical de Osasco e região denunciaram na sexta-feira, 14, o desmonte da seguridade social que tem gerado filas e prejudicado milhões de brasileiros que estão à espera da análise de pedidos de concessão de benefícios. O ato aconteceu em frente ao posto do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e faz parte do calendário de lutas das centrais.

Gilberto denuncia má gestão do governo. Foto: Auris Sousa

“Estamos aqui para denunciar falta de gestão e de compromisso do governo com a população levando ao caos a Previdência Social, sem que os trabalhadores consigam dar entrada nos benefícios”, destacou o secretário-geral do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região, Gilberto Almazan.

O mesmo tom foi dado em frente aos postos do INSS espalhados pelo país. Isso porque já são 2 milhões de brasileiros na fila aguardando análise de pedidos, como aposentadorias, auxílios-doença e licença-maternidade, com o tempo de espera além do limite. O prazo oficial é de até 45 dias.

Resultado de uma política que não atende aos anseios da população e sobrecarrega as agências do INSS, que estão sem condições de atender à alta demanda de pedidos, ocorridas também após a entrada em vigor da reforma da Previdência.

Prejuízo na pele

O aposentado Antonio Silva, de 74 anos, saia da agência do INSS de Osasco, enquanto o ato corria solto. Compareceu até o local porque precisava de um extrato do seu benefício para resolver pendencias bancárias. Porém, devido ao novo modelo de gestão quem entre outros pontos, faz o agendamento pela internet, não conseguiu ser atendido.

“Disseram que eu preciso agendar. Antes eu chegava aqui e resolvia tudo o que precisava. Agora, tudo tem que agendar pela internet”, contou ele, que confessou não saber como fazer.

Mesmo com o pedido de um serviço simples e, teoricamente rápido, o companheiro saiu de “mãos abanando” e, agora, vai engrossar a fila de pessoas a serem atendidas. Caso que só comprova como o modelo é ineficiente. Além disso, muita gente não tem acesso à internet e, mesmo quem tem, encontra dificuldades com o sistema.

Posto do Trabalho em Taboão Fechado

Engana-se quem pensa que o caos está instalado apenas no INSS. O sucateamento dos postos de atendimento do trabalhado foi intensificado após o fim do Ministério do Trabalho e Emprego e já reflete na região.

No início do mês, o Governo Federal encerrou as atividades do Posto de Atendimento do Trabalho de Taboão da Serra do Trabalho e Emprego, em Taboão da Serra. A partir de agora, os serviços vão se concentrar no Portal do Trabalhador de Taboão e na Gerência Regional do Trabalho, em Osasco.

O fechamento foi destacado, durante o ato em frente ao INSS, pelo presidente do Cissor (Conselho Intersindical de Saúde de Osasco e Região), José Elias de Gois, que alertou sobre a importância de barrar os desmontes deste governo.

“Temos um governo que tem proposta de retirar direitos sociais e não podemos permitir que este desmonte aconteça em nosso país. Levamos muitos anos para construir direitos e benefícios para a sociedade. Por isso temos que nos organizar contra os desmandos deste governo que tem trazido só precariedade a vida do trabalhador brasileiro”, enfatizou.