FIQUE SÓCIO!
EDIÇÃO # 20
COMPARTILHAR

Sindicato consegue reintegrar demitido na Meritor

Por Cristiane Alves | 19 jun 2018

O Sindicato conseguiu reverter a demissão do companheiro Marcílio Dias Alves, na Meritor, em Osasco. Isso porque a empresa fez a demissão sem dialogar com o Sindicato, conforme acordo, que prevê a manutenção do quadro de trabalhadores; caso a empresa precise demitir, ela deve justificar. No caso de Marcílio, a empresa reconheceu a falta de justificativa.

Marcílio trabalha na Meritor há 25 anos e conta que encarou com naturalidade o corte; apesar de não querer deixar a empresa. “Cheguei para trabalhar no dia 8 de junho, normal. Quando fui iniciar o meu trabalho, o líder me chamou para a sala do supervisor e ele falou que a empresa está passando por reformulação e, por isso, eu estava sendo desligado”, conta.

Demissão desrespeitou acordo

Na saída da sala do supervisor, Marcílio encontrou o diretor Edson Cogo e contou a ele que estava deixando a empresa. Imediatamente, o diretor Cogo contatou o secretário-geral do Sindicato, Gilberto Almazan, e ambos buscaram contato com a empresa.

Houve uma reunião na segunda-feira, 11, na qual o Sindicato cobrou que fosse feita a reintegração e o respeito ao acordo. No dia seguinte, de manhã, o Sindicato estava na porta da fábrica fazendo assembleia com os companheiros e, então, veio a resposta da empresa: conquistamos o retorno de Marcílio ao trabalho.

Trabalhador satisfeito

O companheiro ficou muito satisfeito. “Eu me senti muito aliviado, não queria sair agora. Sempre trabalhei na Meritor, gosto de lá”, afirma.

A assembleia aprovou disposição de luta, caso a Meritor insista em fazer rotatividade para reduzir salários.

Trabalhadores da Engematex em greve por refeição

Os companheiros da Engematex, de Carapicuíba, completam cinco dias em greve, nesta terça-feira, 19. A luta é para conquistar o fornecimento de refeição, mas o patrão não quer ceder e quer jogar a negociação para janeiro de 2019.

Essa é uma reivindicação antiga e os trabalhadores cansaram de tirar do próprio salário o valor integral da refeição. Além disso, a Engematex é uma das poucas empresas da base do Sindicato, que não oferece o benefício. “Os companheiros estão firmes na luta e não estão dispostos a ceder enquanto não conquistarem a refeição”, afirma o diretor Dalmo Ferreira.

Metalsa fecha R$ 7 mil em PLR

Os companheiros da Metalsa, de Osasco, conquistaram um dos maiores acordos de PLR das metalúrgicas da nossa região. O valor pode alcançar R$ 7 mil, sendo que a antecipação será de R$ 4.500. A proposta foi aprovada em assembleia na terça-feira, 12.

Pressão na Zoppas também garante PLR

Depois de muita pressão e organização junto com o Sindicato, os companheiros da Zoppas, de Barueri, iniciam a semana com o acordo de PLR fechado.

A PLR também está garantida na Minor, em Embu das Artes. Também conquistaram o aumento no valor do ticket refeição, que vai ser elevado anualmente a partir deste ano e até 2020.

Na Cinpal, a luta continua para arrancar o acordo da empresa. A semana passada foi repleta de assembleias, nos diferentes turnos, e o Sindicato reforça a mobilização para pressionar a empresa a negociar.

Negociação melhora compensação na Elco

Os companheiros da Elco vão ter de compensar dois dias a menos daqueles que ficaram parados por conta da greve dos caminhoneiros. Houve trabalhadores que param seis dias e outros que pararam cinco. Isso porque o Sindicato interviu e não deixou a empresa fazer o que bem queria. Os trabalhadores questionaram, já que a Elco queria que eles pagassem as horas não trabalhadas aos sábados.

Trabalhadores da Rossini cobram pauta

Os companheiros da Rossini, de Barueri, cobram o atendimento das reivindicações que estão na pauta protocolada na segunda-feira, 18. A pauta foi construída pelos trabalhadores em reunião na sede, no último sábado e inclui: redução do valor do convênio médico, plano de cargos e salários, fim do assédio moral, fim do trabalho aos domingos e PLR.

Os trabalhadores denunciam que as condições inseguras de trabalho continuam, mesmo após o acidente grave ocorrido em 6 de maio, com o companheiro Carlos Augusto de Oliveira Rodrigues.

Nesta quarta-feira, 20, haverá reunião do Sindicato com a empresa para negociar a pauta.