FIQUE SÓCIO!
Notícias
COMPARTILHAR

Live do 1º de Maio tem reflexão social e atrações musicais

Por Auris Sousa | 04 maio 2020

A Live do  1º de Maio, transmitido de forma ininterrupta durante quase seis horas nesta sexta-feira, 1º, reuniu líderes sindicais, políticos e artistas com mensagens em defesa da democracia, saúde e um mundo melhor para todos. A transmissão foi organizada pelas centrais sindicais em celebração ao Dia dos Trabalhadores. 

Stéfano se apresenta no 1° de maio, como muitos outros artistas ao longo do dia, nesse ato unitário.

Durante uma atração musical e outra, representantes das centrais passaram suas mensagens. Os presidentes da Força Sindical, Miguel Torres, e da CUT, Sérgio Nobre, defenderam a renúncia do presidente da República. “O senhor Bolsonaro é um criador de intensas crises políticas e não tem condições de governar e tirar o país desta crise. O melhor caminho é a renúncia”, disse Miguel.

A programação incluiu uma diversidade de artistas, cantores, intérpretes, depoimentos de desempregados, moradores de rua, trabalhadores que convivem com a pandemia e representantes de entidades. Como o Movimentos dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, a Marcha Mundial das Mulheres, a Associação Brasileira de Imprensa e a Ordem dos Advogados do Brasil, além da Organização Internacional do Trabalho. “Hoje, mais do que nunca, precisamos fazer o diálogo social”, afirmou o diretor da OIT no Brasil, Martin Hahn.

Entre as lideranças políticas, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se pronunciado em solidariedade às vítimas da pandemia e de quem está tentando salvar vidas. “A história nos ensina que grandes tragédias costumam ser parceiras de grandes transformações”, afirmou. 

A ex-presidenta Dilma Rousseff (PT) disse que Bolsonaro “avilta a cadeira de presidente da República”, Ciro Gomes (PDT) falou em novo projeto de desenvolvimento (“Que possamos ser capazes de organizar a nossa luta e reconquistar os nossos direitos”) e Fernando Henrique Cardoso (PSDB) – uma participação que causou incômodo – afirmou que é preciso união para defender a democracia e a liberdade. “O grande indutor do desenvolvimento é o investimento público”, acrescentou o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB).

A Live terminou às 17h15 com vários artistas cantando O Sal da Terra, de Beto Guedes. O verso “Vamos precisar de todo mundo” foi o mote do evento, em dia também dedicado a angariar solidariedade às vítimas diretas e indiretas do coronavírus.

[Fonte: Rede Brasil Atual] 

Leia também: