FIQUE SÓCIO!
Gilberto Almazan
COMPARTILHAR

Eu prefiro feijão!

Por Gilberto Almazan - Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região 30 ago 2021

Mais uma vez Jair Bolsonaro (sem partido) perdeu a chance de ficar calado. Na sexta-feira, 27 de agosto, ao defender a ampliação do acesso da população ao porte de armas, chamou de idiota quem considera mais importante comprar feijão.

“Tem que todo mundo comprar fuzil, pô. Povo armado jamais será escravizado. Eu sei que custa caro. Aí tem um idiota: Ah, tem que comprar é feijão. Cara, se você não quer comprar fuzil, não enche o saco de quem quer comprar”, disse Bolsonaro a apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada.

Trata-se de mais uma declaração absurda e extremista. E deixa mais uma vez clara a indiferença de Bolsonaro à fome, ao desemprego, ao aumento do gás de cozinha, da energia elétrica e da cesta básica, de modo geral. Reforça cada vez mais para quem governa.

Além do mais, quem pretende instaurar/modernizar a escravidão no Brasil é claramente ele, por meio de uma minirreforma que retira ainda mais direitos da classe trabalhadora. Seria cômico, se não fosse trágico.

Os problemas do nosso país não serão resolvidos à bala. Os brasileiros precisam de emprego, com direitos. Precisam de renda e comida na mesa. O Brasil precisa é de um presidente que olhe para todos, que se importe com políticas voltadas para a geração de emprego. Mas, não. Bolsonaro não se importa de ver o Brasil mergulhar em retrocessos.

Temos que dar um basta nisso. O 7 de setembro, deste ano, é mais uma oportunidade para mostrarmos o nosso descontentamento (leia na página 4). Se você se sentir seguro, vá até o Anhangabaú, às 14h, e reforce a luta por um país melhor. Caso ao contrário, manifeste-se nas redes sociais. E não esqueça: no lugar de fazer guerra, faça uma bela feijoada

Jornal Visão Trabalhista EDIÇÃO #

Tradutor - Translator -Un Traductor