FIQUE SÓCIO!
Press Releases
COMPARTILHAR

Para metalúrgicos, derrubar a reforma da Previdência é prioridade

Por Auris Sousa | 08 fev 2017

A mobilização contra a reforma da Previdência proposta pelo governo de Michel Temer que restringe e dificulta o acesso dos trabalhadores à aposentadoria foi reforçada nesta quarta-feira, 8, pelos metalúrgicos de Carapicuíba, Itapevi e Jandira, de empresas como: AEPI, MKS, Ficosa, Budai, Prodec e Rayton. Os companheiros deixaram bem claro que derrubar a reforma, agora, é a prioridade da categoria. A ação faz parte do mutirão de assembleias organizado pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região.

Budai-Niaço (2)

A proposta do governo Temer fixa idade mínima de 65 para requerer aposentadoria e eleva o tempo mínimo de contribuição de 15 para 25 anos. A regra vai valer para homens e mulheres. “É um cúmulo, estão rebaixando cada vez mais as mulheres. Estamos sendo deixadas para trás, já trabalhamos o dobro que os homens, se contar o trabalho de casa e com as crianças”, criticou uma trabalhadora da Nyaço.

Os companheiros entenderam que o intuito do governo é fazer o trabalhador contribuir por mais tempo, para, só então, conseguir melhorar o valor do benefício. Isso porque, se a reforma passar, o benefício será calculado com base em 51% mais 1% sobre cada ano trabalhado, que serão aplicados sobre a média de todas as contribuições . Para se aposentar com 100% do benefício, será preciso contribuir por 49 anos. “A intenção é que a gente não se aposente”, retrucou um companheiro da Açotécnica.

Durante as assembleias a diretoria reforçou para os companheiros que não existe rombo na previdência. “O que existe é má administração”, destacou o diretor Antonio de Souza, na porta da Açotécnica. Para os companheiros da Budai e Nyaço, o presidente do Sindicato, Jorge Nazareno, destacou a importância de a categoria estar mobilizada contra as ameaças. “Para a reforma entrar em vigor, vai depender da aprovação no Congresso. Por isso é necessária a participação de todos no mutirão, nos seminários do Sindicato. Também pressionem os deputados e senadores nas redes sociais, mandem e-mail para eles”, orientou Jorge.

Mutirão – Nesta quinta-feira, 9, o Sindicato vai organizar os metalúrgicos e metalúrgicas das fábricas de Barueri, Alphaville, Santana de Parnaíba e Pirapora do Bom Jesus, a partir das 7h.

Jornal Visão Trabalhista EDIÇÃO #17