FIQUE SÓCIO!
Press Releases
COMPARTILHAR

Trabalhadores mantêm ocupação na Mecano Fabril

Por Auris Sousa | 12 mar 2012

TAGS

Os metalúrgicos da Mecano Fabril decidiram manter a ocupação da fábrica pela manutenção dos 500 postos de trabalho que estão ameaçados. A decisão foi tomada diante da ausência dos representantes do banco Econômico e da parte interessada na compra do terreno na reunião com a secretária da Justiça do Estado de São Paulo, Eloisa Arruda, e o secretário de Relações do Trabalho, Carlos Ortiz, na tarde desta segunda-feira, 12, em São Paulo.

Compareceram à reunião o dono da Mecano Fabril, Walter Strobel, o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região, Jorge Nazareno, e a secretária-geral da entidade, Monica Lourenço, e o secretário de governo da Prefeitura de Osasco, Jorge Lapas.

Diante da conduta da outra parte interessada, Eloisa Arruda assumiu a tarefa de negociar com o Banco Econômico e os advogados do empresário que arrematou o terreno onde fica a Mecano Fabril uma saída para o impasse que ameaça os empregos dos metalúrgicos da empresa situada em Osasco. “Acho difícil de a outra parte não querer conversar comigo”, ponderou Eloisa.

Diante disso, o Sindicato e os trabalhadores mantêm a ocupação na Mecano Fabril por prazo indeterminado. “São 500 empregos em jogo que não podem ser descartados. A Justiça e o empresário interessado precisam se sensibilizar para essa questão. Para nós, só interessa a negociação que garanta a manutenção dos postos de trabalho”, afirma Jorge Nazareno.

Entenda o caso – Na sexta-feira, 9, os metalúrgicos da Mecano Fabril deram início a um processo histórico de resistência a um mandado de reintegração de posse expedido pelo juiz Manoel Barbosa, da 5ª Vara Cível de Osasco. A ordem era para desocupar o prédio e dar posse ao novo proprietário: o Banco Econômico, com o qual o atual proprietário da Mecano, Walter Strobel, discute uma dívida há 15 anos na Justiça. O resultado de tal disputa judicial foi o encaminhamento do terreno de 50 mil m2 a leilão, realizado em 2009.

A posse do terreno arrematado vinha sendo reclamada desde então, até que na sexta-feira os oficiais chegaram à Mecano com o mandado em punho e acompanhados de advogados e seguranças armados do Banco Econômico.

Jornal Visão Trabalhista EDIÇÃO #Retro 2020