FIQUE SÓCIO!
Press Releases
COMPARTILHAR

Trabalhadores protestam em defesa de 500 empregos

Por Auris Sousa | 16 mar 2012

TAGS

Autoridades e sindicalistas se juntam aos trabalhadores da Mecano Fabril na próxima segunda-feira, 19, num protesto em defesa dos 500 empregos existentes na empresa. A manifestação começa às 8h, na portaria voltada para a Marginal Tietê, em Osasco (São Paulo).

É esperada a presença de lideranças sindicais e políticas, que nos últimos dias manifestaram seu apoio aos trabalhadores da Mecano Fabril. Também participam sindicalistas de toda a região de Osasco, Força Sindical, CUT e Fitim (Federação Internacional dos Trabalhadores Metalúrgicos). Essa é mais uma maneira de cobrar um acordo entre o proprietário da fábrica e os empresários que adquiriram o terreno para, assim, por fim ao impasse que coloca em risco os empregos dos trabalhadores.

Ato ecumênico – Neste sábado, 17, a partir das 10h, acontece um ato ecumênico envolvendo também as famílias dos trabalhadores numa forma de demonstrar o impacto social que a desativação da empresa pode provocar na cidade e na região. A fabricante de componentes para a indústria automobilística Mecano Fabril corre risco de ter suas portas fechadas pela falta de acordo entre o empresário que arrematou em leilão o terreno onde fica a fábrica e o proprietário da empresa.

Montadoras prejudicadas – A empresa é fornecedora exclusiva de alguns tipos de peças para montadoras como Fiat e GM. Por mês são produzidos 200 mil tuchos, que são peças utilizadas nos motores Fiat, por exemplo. A Mecano adota o processo Just In Time. Com isso, a empresa não resiste parada por muito tempo, o que agrava a situação dos trabalhadores, caso haja qualquer interrupção na produção. Foi todo esse quadro que motivou a ocupação, diante do mandado de reintegração de posse expedido pela 5ª Vara Cível de Osasco, e apresentado por dois oficiais de Justiça, na última sexta-feira, 9. “Era necessário que a Justiça levasse todo esse quadro em consideração, antes de expedir o mandado”, pondera o presidente do Sindicato, Jorge Nazareno.

Vidas em jogo – Além disso, há trabalhadores que fizeram sua vida na empresa. “Agora, a nossa luta é para que não seja fechada uma empresa que está em plena produção colocando na rua 500 pais e mães de família, que têm, em média, 20 anos de empresa”, afirma a secretária-geral do Sindicato, Monica Lourenço, que também é funcionária da Mecano.

A ordem de reintegração determinava a desocupação do prédio e dava posse ao novo proprietário: o Banco Econômico, com o qual o atual proprietário da Mecano, Walter Strobel, discute uma dívida há 15 anos na Justiça. O resultado de tal disputa judicial foi o encaminhamento do terreno de 50 mil m2 a leilão, realizado em 2009.

A posse do terreno arrematado vinha sendo reclamada desde então, até que na sexta-feira os oficiais chegaram à Mecano com o mandado em punho e acompanhados de advogados e seguranças do Banco Econômico.

O mandando de reintegração foi suspenso na tarde de sábado. Desde então, o Sindicato, com o apoio de várias autoridades, busca um acordo que atenda aos interesses do novo proprietário, mas que não resulte no fechamento da empresa e na consequente perda dos postos de trabalho.

Serviços: Manifestação pelos 500 empregos da Mecano Fabril
Data: segunda-feira (18/3)
Horário: 8h Local: Av. das Nações Unidas, 3.300 – Pres. Altino – Osasco

Ato ecumênico na ocupação da Mecano Fabril
Data: sábado (17/3) Horário: 10h
Local: Av. Henri Ford, 673, em Presidente Altino, Osasco (próximo à rodovia Castelo Branco e a a marginal Tietê)

 

Jornal Visão Trabalhista EDIÇÃO #Retro 2020