FIQUE SÓCIO!
Notícias
COMPARTILHAR

Após greve, companheiros da Hyundai Rotem vão receber mais de R$ 4 mil de abono

Por Auris Sousa | 15 set 2021

Depois de oito dias em greve, os metalúrgicos da Hyundai Rotem, em Osasco, conquistaram R$ 4.500 de abono e terminaram nesta quarta-feira, 15, a greve iniciada no dia 8 de setembro. O abono é equivalente a uma PLR (Participação nos Lucros e Resultados). A luta dos companheiros também garantiu 10% de correção no vale refeição e a compensação de apenas dois dias da paralisação.

De acordo com a proposta aprovada, o pagamento do abono será feito em duas parcelas, sendo R$ 4 mil em 30 de setembro e o restante (R$ 500) no final do contrato de trabalho, previsto para final de janeiro de 2022. Vale ressaltar que o acordo também garante o cumprimento por parte da empresa da cláusula 83 da Convenção Coletiva, que assegura que as homologações sejam feitas no Sindicato.

Companheiros da Hyundai Rotem conquistam PLR

“Desde 2018, os trabalhadores pleiteiam ser reconhecidos pela empresa por meio da PLR. Ao final do contrato de trabalho, que acontece em janeiro de 2022, fortaleceram a mobilização e o resultado foi este”, enfatiza o diretor do Sindicato Rafael Alves.

Os caminhos da Luta 

A disposição de luta dos companheiros foi determinante para que o valor do abono saísse dos de R$ 500 (proposta inicial) para R$ 4.500. Para isso, a negociação conduzida pelo Sindicato também foi determinante, uma vez que a segunda proposta feita (de R$ 2 mil e compensação de 50% dos dias parados) foi rejeitada logo na mesa de negociação.

A terceira foi reprovada na terça, quando os companheiros rejeitaram o valor de R$ 3 mil. Antes de chegar no valor aprovado pelos trabalhadores, a empresa apresentou na manhã desta quarta o valor de R$ 4 mil, mas a proposta foi rejeitada pelos metalúrgicos.

“Os trabalhadores da Rotem mantiveram firme a mobilização pela proposta apresentada. O aumento de R$ 4 mil, frente ao valor de R$ 500 apresentado inicialmente, só reforça a força que a unidade dos trabalhadores tem, bem como a clareza sobre o funcionamento da empresa”, destaca o diretor Francieldo de Aquino.  

Para o assessor sindical Wilson Costa, “mais uma vez os trabalhadores deram uma demonstração de força e mobilização. O próximo passo agora é empenhar toda essa organização na luta pela renovação da nossa Convenção Coletiva.”

Jornal Visão Trabalhista EDIÇÃO #

Tradutor - Translator -Un Traductor